Missouri a Oklahoma “The Geat American West”

Oklahoma

Neste artigo trazemos duas etapas completas da ROUTE 66 e ainda o início da 4ª etapa até á entrada no Texas e nas quais atravessamos 3 Estados: MISSOURI, KANZAS e OKLAHOMA

No 1º dia de viagem pela ROUTE 66 atravessamos o Estado de Illinois de CHICAGO até St Louis

A CRÓNICA DESTE PERCURSO ESTÁ NO ARTIGO ANTERIOR: “ILLINOIS, O 1º DIA DE ESTRADA”

Etapa 2 – St Louis / Joplin

(Missouri)

No segundo dia a paisagem mudou ligeiramente… e o tempo também!!! A chuva foi-nos visitando aqui e ali… Mas para compensar a estrada tornou-se mais bonita, menos urbana – “There is no other place quite like it” é o slogan que nos dá as boas vindas a este estado do Missouri e que pudemos confirmar subindo e descendo as suas suaves colinas, usufruindo ao máximo as cores do outono!

Numa etapa bem passada começamos por visitar uma das maiores atrações turísticas da velha Route 66, as Meramec Caverns situadas em Stanton! Compostas por um extenso conjunto de cavernas de calcário, formadas há 400 milhões de anos são famosas por  terem servido de esconderijo ao não menos famoso bandido do velho Oeste, Jesse James, que usava o rio que passa lá dentro para escapar pelo outro lado.

No seu interior podemos ver formações de rochas muito raras e de grandes dimensões sob as luzes de muitas cores vão dando a tonalidade à agradável visita guiada! Preço – 44.72USD (2 pessoas)

Cada vez mais embutidos no espírito da “molher road”, comemos numa lanchonete de beira de estrada um cheeseburger e bebemos um milkshake. Nada saudável, é verdade, mas a sensação de viver na primeira pessoa cenários só vistos em filmes, compensava todos os “pecados”!

E fomos parando inúmeras vezes deslumbrados pelas “mil e uma” atrações com que a Route nos presenteia a cada milha percorrida. Ficam apenas aqui algumas…

Em Cuba apreciamos os diversos murais da Mural City”

Em Fanning uma cadeira de baloiço gigante faz as maravilhas de quem passa… Construída em 2008 com o objetivo de entrar no Guinness hoje é uma das atrações da estrada apesar de ser tão recente! Para bater o record a cadeira teve mesmo que “baloiçar” mas gora que é “só” a segunda maior do mundo, está fixada no chão para evitar acidentes com os turistas.

Em Rolla fomos conhecer mais um “gigante” da Route, o “Mule Trading Post”

Passámos por inúmeros motéis, uns decadentes, abandonados, deixados ao sabor do tempo, outros que sobreviveram e tornam única a Route 66 !!!

E, claro, tínhamos que experimentar …assim, terminamos o dia já de noite na pacata localidade de Joplin, num motel, virados para a estrada, sentindo-nos a viajar no tempo!

As opções não são muitas nesta zona até porque Joplin, em si, nada tem de interessante.

No entanto, estrategicamente a nível de quilómetros percorridos na etapa foi o local ideal! É que até ao Kanzas a route tem 510 km!

HOTEL JOPLIN – Days Inn by Wyndham Joplin

Etapa 3 – Joplin / Oklahoma City

(Missouri /Kanzas/ Oklahoma)

O dia em que saímos do Missouri, atravessamos o Kansas e acabamos em Oklahoma ficou marcado pela meteorologia adversa… foi um dia “pesado”, sempre de baixo de chuvas torrenciais que nos “estragavam” as fotos que teimosamente continuávamos a tirar!

No Kansas a Route 66 tem apenas 13 milhas (cerca de 21 km) sendo este percurso conhecido como “cut the corner of Kanzas – thirteen milles of smiles” onde apesar da chuva intensa ficamos encantados com as suas “old towns” como Galena, Riverton e Baxter Springs onde os seus velhos edifícios de tijolo nos fizeram recuar aos tempos áureos da Route 66.

Uma curiosidade: em 1929 foi precisamente aqui que foi feito o primeiro trecho totalmente pavimentado e conectou as três cidades.

A cidade de Galena passou de uma população de 30 mil pessoas, para pouco mais de 3 mil hoje. Por isso, são muitos os prédios e casas abandonados que aos poucos e graças ao turismo associado á Route 66 vão sendo restaurados.

Após um ligeiro desvio para visitar o Tri State Market, local onde se tocam os 3 estados estávamos prontos para entrar no “Great American West”, no estado de Oklahoma, que detém o maior percurso da Route 66 com mais de 600 Km super bem conservados.

Prontos para descobrir o

Estado do Oklahoma?

Com o tempo cada vez pior, fomos passando pelos locais míticos e que se tornaram ícones da estrada como em Catoosa a “Blue Wale”, a famosa escultura de uma baleia azul, feita em fibra de vidro, e construída em 1972 por Hugh Davis para presentear sua esposa, mas era missão impossível sair do carro, quanto mais para visita-los como gostaríamos!

Até um alerta governamental de cheias tivemos direito por sms e por anúncio na radio…assustador!

Até um alerta governamental de cheias tivemos direito por sms e por anúncio na radio…assustador!

Assim, nem paramos em Tulsa, a segunda maior cidade do estado, apenas tendo “registado fotograficamente” a nossa passagem!

Estavam no roteiro mas ficaram por visitar:

Mas por fim chegamos sãos e salvos ao nosso destino do dia: Oklahoma City, cidade que deve o seu desenvolvimento, na década 30, à descoberta de petróleo.

O Hotel escolhido na zona de Bricktown permitiu-nos ainda um passeio pela cidade: Hampton Inn & Suites Oklahoma City Bricktown.

Esta é a área mais antiga de Oklahoma Cityuma área industrial toda revitalizada e recortada por canais, um charme!

Deixamos “o campo”, voltamos a ter arranha-céus e a chuva parou o que nos permitiu uma rápida visita pela cidade. Apesar do próprio nome destas terras ter origem na palavra ‘Okla Humma’, que no idioma da etnia Choctaw significa Gente Vermelha, por lá não vimos gente nativa mas encontramos uma simpática e desenvolvida cidade que nos acolheu de forma muito hospitaleira.

Como chegamos já á noite e partimos logo cedo no dia seguinte, não conseguimos aproveitar bem esta cidade, uma mistura interessante de cultura country, arquitetura vanguardista, parques lindos e excelentes museus. O objetivo desta nossa viagem era principalmente a Route 66 e daí não nos dedicarmos tanto aos locais por onde fomos passando, como gostaríamos… para isso não chegaria 1 mês e tínhamos que fazer esta viagem em pouco mais de 15 dias!

Se puderem pelos menos passar um dia inteiro deixamos algumas dicas: descubram o seu lado tendry em Brickton, vivam o seu lado country e visitem pelo menos um bom museu.

Na zona de Bricktown um dos principais passeios do bairro é percorrer os canais a bordo do Watertaxi,  barcos coletivos cruzam a região passando por uma série de esculturas e instalações de arte interessantes. O tour é todo comentado de forma a que se aprenda um pouco da história do estado.

Para os amantes de desporto a visita ao estádio de baseball dos Oklahoma City Dodgers, o Chickasaw Bricktown Ballpark, para ver um jogo de baseball nos EUA é um “must do”!

Para uma viagem pelo faroeste, esta cidade, famosa por abrigar o maior leilão de gado dos Estados Unidos – o Cattle Stockyard, onde há leilões diários – e que assim divide com Dallas o título de coração country dos Estados Unidos, é o local certo. Na região do Stockyard poderão encontrar pelas ruas cowboys de verdade, visitar lojas de botas de chapéus tradicionais (Little Joe’s Boots) e almoçar na tradicionais churrascarias Cattlemen’s Steakhouse!

Do outro lado da cidade está o National Cowboy Museum que conta a história dos Cowboys desde a herança indígena, passando pela tradição dos rodeios e terminando nos filmes de faroeste, com uma área dedicada a John Wayne e na música country. Que pena tivemos não ter podido conhecer…

Deixamos aqui a indicação de mais dois museus que nos pareceram muito interessantes:

Oklahoma City Museum of Art, também conhecido como OKC MOA, um museu de arte moderna com exibições itinerantes excelentes e um pavilhão dedicado as esculturas de vidro de Dale Chihuly e o Science Museum Oklahoma, com uma programação para todas as idades, um planetarium, vários espetáculos dinâmicos que exemplificam conceitos de físicas, mostram cenas de crimes a ser desvendados e várias experiências divertidas e sensoriais.

Etapa 4 – Oklahoma City / Amarilho

(Oklahoma / Texas)

Com algumas milhas para percorrer no estado de Oklahoma, voltamos ao campo, ás pequenas quintas, ás pontes antigas…

E já com algumas ameaças de índios e cowboys a chegar, antes de deixar este estado…

Ficou na memória uma paragem: O Sand Hills Curiosity Shop é um lugar fabuloso de culto á Route 66 mas que infelizmente se encontrava fechado à nossa passagem.

Antes de passar para o Texas, uma última referência e paragem… Texola! O nome não engana, já junto á “fronteira” o visual “fantasmagórico” de abandono, bem típico da Route 66, marca o cenário e um café no “Tambleweed Grill” é quase obrigatório!

Do percurso no Texas falaremos no próximo artigo…

ROUTE 66
Esta imagem tem um texto alternativo em branco, o nome da imagem é foto-olga-e-ze.jpg

Todos os textos são da autoria de Olga Samões e todas as fotografias deste blog são da autoria de José Carlos Lacerda, exceto onde devidamente identificado. Proibida a reprodução de quaisquer textos e/ou imagens sem autorização prévia dos autores

Este artigo poderá conter links de afiliados. O que são ?  

Ao fazerem reservas pelos links do nosso blogue NÃO vão pagar MAIS por isso e nós ganhamos uma pequena comissão dada pela entidade pela publicidade que lhe fazemos.


2 comments

Leave a Reply