Illinois, o 1º dia de estrada

illinois capa

Com início em CHICAGO, na East Adams Street, entre a Wabash Avenue e a Michigan Avenue, a primeira etapa levou-nos a percorrer o Estado de Illinois, que preserva com carinho as heranças da antiga Route 66!

Etapa 1 – Chicago / St Louis

route 66

Passados os subúrbios de Chicago, começamos a ter o verdadeiro contacto com as pequenas localidades que caracterizam esta velha estrada e que nos fazem viver a sua essência. À medida que íamos atravessando o estado do Illinois fomos entrando num filme: bombas de gasolina vintage, motéis de beira de estrada, insufláveis gigantes, cenários que pensávamos que não existiam na realidade !!!

As estátuas gigantes eram um conceito comum de publicidade americana usado para promover as típicas lanchonetes e lojas de souvenirs na beira da estrada na década de 1960…

É uma dessas colossais figuras de fibra de vidro, o “Gemini Giant” que encontramos em Wilmington. O seu nome e design exclusivo foram concebidos para homenagear o programa espacial Gemini e fica junto ao Launching Pad Drive-In, uma lanchonete que serve os viajantes da Route 66 desde 1960.

Logo de seguida em Braidwood um outro gigante, agora uma figura de Elvis,  anuncia o “Polk-a-Dot Drive Inn”

Fizemos imensas paragens…queríamos fotografar todos os locais, descobrir a sua cultura, conhecer as suas pessoas!

E foi em Dwight que, numa paragem para ver mais de perto uma incrível bomba gasolina “a restaurada “Ambler’s Texano”, tivemos primeiro impacto que nos deixou desde logo rendidos: fomos muito bem recebidos, com uma hospitalidade de gente simples do interior americano que nos fez sentir muito bem e ter ainda mais a certeza que esta viagem seria inesquecível…

Visitamos a “garagem” anexa onde é exibida a última bomba de gasolina usada na Route 66, construída em 1933, um “Ford”  restaurado e  ainda fomos presenteados com um “pin” de Illinois da Route 66… e aí começou a coleção! De todos os estados trouxemos um como recordação…

Atlanta também merece uma paragem… Na  Southwest Arch Street mais uma enorme estátua, o “Bunyon”, retrata um rapaz com quase 6 metros de altura com um cachorro quente de tamanho respeitável nas mãos

Tínhamos planeada uma visita ao “The Mill Museum”, instalado num edifício original da Route 66, datado de 1929 que funcionava como um restaurante mas á nossa passagem estava fechado para restauro.

Antes de chegar a Springfield mais uma paragem “obrigatória”: “Railsplitter Covered Wagon”, um vagão reconhecido pelo Guinness Book of World Records como o maior do mundo, com um passageiro famoso, Abraham Lincoln.

Mas é em Springfield que a route 66 ganha uma conexão importante com o presidente Abraham Lincoln nativo do estado e com sua trajetória rumo à presidência. Aqui é possível fazer uma tour pelo moderníssimo Abraham Lincoln Presidential Museum, visitar o Lincoln Home National Historic Site e apreciar o antigo capitólio, estadual onde o presidente teve o discurso famoso sobre a divisão da câmara de deputados.

Deixando a capital do estado para trás, continuamos nossa jornada rumo ao Missouri e aqui outra certeza se concretizou: não é uma viagem para fazer com pressa de chegar ao destino, o foco da viagem não reside nos locais de pernoita mas em aproveitar o caminho percorrido. De tal forma que já começava a cair a tarde quando chegamos a St Louis.

Mas antes de dar a etapa por terminada detivemo-nos mais uma vez na lendária ponte a “Old Chain of Rocks Bridge”, a forma original de cruzar o rio Mississippi e entrar no estado de Missouri, atualmente fechada a veículos e considerada património histórico.

Apesar do cansaço dos primeiros 480 quilómetros as últimas horas do dia foram dedicadas a conhecer um pouco a cidade conhecida por ser a porta de entrada do oeste:

De St Louis, talvez mais do que de qualquer outra, que saíram centenas daquelas caravanas tão vistas em filmes westerns, enfrentando índios e outras adversidades, para colonizar as distantes terras do oeste americano.

Para simbolizar e eternizar a sua história a cidade decidiu construir o que passaria a ser o seu principal símbolo: o Gateway Arch, o mais alto monumento do país feito pelo homem e o arco mais alto do mundo.

Icónico e impressionante foi o pano de fundo da janela do nosso hotel – Hotel Hyatt Regency St Louis at the Arch – onde retemperamos forças para a jornada do dia seguinte.

Não sem antes apreciar a gastronomia local! St. Louis e seus moradores levam o churrasco a sério… e assim o jantar foi composto pelas suas famosas carnes envolvidas no típico molho barbecue !

Fica aqui a indicação de uma experiência que, dado as horas a que chegamos, não conseguimos ter, com muita pena nossa: um cruzeiro no rio Mississippi !!!

No próximo artigo mais 2 etapas da ROUTE 66

MISSOURI / KANZAS / OKLAHOMA para chegarmos ao “Great American West”

Para mais opções de alojamento em Saint Louis:

Booking.com

Esta imagem tem um texto alternativo em branco, o nome da imagem é foto-olga-e-ze.jpg

Todos os textos são da autoria de Olga Samões e todas as fotografias deste blog são da autoria de José Carlos Lacerda, exceto onde devidamente identificado. Proibida a reprodução de quaisquer textos e/ou imagens sem autorização prévia dos autores

Este artigo poderá conter links de afiliados. O que são ?  

Ao fazerem reservas pelos links do nosso blogue NÃO vão pagar MAIS por isso e nós ganhamos uma pequena comissão dada pela entidade pela publicidade que lhe fazemos.


2 comments

Leave a Reply