Giro Italiano – VERONA

Aterramos em Milão pouco passava das 10 da manhã.

Fizemos o voo pela TAP que melhor nos convinha a nível de horários e que atualmente já têm um preço muito competitivo com as demais companhias low coast. Podem consultar as várias opções neste link – TAP voos Milão. O nosso conselho é verificar sempre todos os prelos/horários em todas as companhias disponíveis!

Fazemos sempre a pesquisa dos voos no Skyscanner pois assim ficamos com uma visão global dos preços praticados pelas diversas companhias aéreas e dos horários disponíveis. Tem sido um motor de busca essencial! É só escolher a opção que mais nos convém e somos redirecionados para as várias hipóteses de reserva… DICA: APÓS FEITA A ESCOLHA ir ao site da PRÓPRIA COMPANHIA AÉREA… mesmo que o skyscnaner mostre opções mais baratas… é, de certeza, a mais segura a reserva na própria companhia e mais fácil a comunicação direta quando surgem contratempos!

A mota que nos iria levar neste “Giro Italiano” só segunda feira estaria disponível. Milão já tinha feito parte duma escapadinha de fim de semana em finais de 2015. Estão a vermos parados neste cenário ???? Claro que não !!!

Tínhamos que “rentabilizar” o tempo e para tal lembramo-nos de VERONA. Com os bilhetes de comboio já comprados no site https://www.italotreno.it/en chegamos à estação principal da cidade.

Tínhamos previamente adquirido o “Verona Card” que foi o nosso amigo n.º 1 nesta cidade!

Este cartão tem o custo de 20€ para 24 horas e de 25€ para 48 horas, após a primeira validação.

E, não só permite a entrada em todas as atrações da cidade como abrange o bilhete de autocarro da estação de comboios até ao centro , que ainda fica distante para um percurso a pé … Só vantagens!

Mal chegamos ao centro da cidade e fomos fazer check in ao hotel escolhido, um “bed and breakfast” cheio de charme, super barato e com uma localização top. Super recomendamos.

B&B CASA ESVAEL

Booking.com

E daqui iniciamos o nosso “roteiro” e desde logo nos começamos a sentir como se estivéssemos no período medieval, dentro de um cenário de filme de época! Igrejas, templos e palácios fazem parte de um grande teatro ao céu aberto que formam um espetáculo arquitetónico em Verona. As praças, as esquinas, as casas, as varandas, os lustres, tudo chama a atenção, tudo nos encanta logo à primeira vista.

Vista aérea

Começamos pelo CASTELVECCHIO, impressionante construção medieval que hoje é sede de um dos museus municipais da cidade. Após breve visita ao museu atravessamos pela famosa Ponte Scaligera sobre o rio Edige.

Dali rumámos à Piazza Bra onde fica a ARENA de Verona, um dos anfiteatros romanos mais bem conservados do mundo.

No dia que estivemos em Verona não havia espetáculos, mas se tiverem mais sorte… aproveitem! A acústica é soberba!

Percorrendo a Via Mazzini, principal rua de comércio, chegamos á Piazza dele Erbe e á CASA DA JULIETA… sim estamos a falar da famosa donzela protagonista da ainda mais famosa e trágica história de amor do mundo !

No pátio a tradição é passar a mão nos seios da estátua de Julieta e é de onde se avista a sacada da janela onde namorava com Romeu. Na casa, decorada de acordo com a época pudemos ver num dos quartos, vestidos e móveis de cena usados no filme “Romeu e Julieta” de Franco Zeffirelli.

Ficamos a saber que as famílias Montecchio e Capuletti existiram, de facto mas não existe nenhuma prova histórica que fossem inimigas ou que seus filhos tenham se apaixonado. No entanto fácil é de nos apercebermos da força que uma história pode ter independentemente de saber onde termina a realidade e começa a ficção de Shakespeare! Era um mar de gente a visitar…e pelas paredes da entrada vão deixando os seus “secretos” desejos de amor !!!

Regressamos á PIAZZA DELLE ERBE onde bares e restaurantes emolduram o vai e vem das pessoas que passeiam entre bancadas de frutas e das mais variadas lembrancinhas locais.

Mesmo ao lado, outra praça de referência com vários locais merecem a nossa atenção, a PIAZZA DELLA SIGNORIA com a estatura de Dante e onde a Torre dei Lamberti partilha o protagonismo com o Palazzo della Ragione e a sua Galeria de Arte Moderna.

Deixamos estas visitas para o dia seguinte e fomos ao encontro dos recantos…das ruas “anónimas”. Fica aqui a dica: Observa, caminha, degusta…só isto é suficiente para te apaixonares pela cidade!!!

Ficam aqui vários “recantos”

Com o cair da noite a cidade ainda ganhou mais charme com os seus edifícios suavemente iluminados transmitindo uma sensação de nostalgia…

No segundo dia fomos em direção ao rio e a famosa Ponte Pietra…

Pelo caminho passamos pela BASÍLICA DE SANTA ANASTÁCIA , um exemplo extraordinário da arte da época, tanto no interior como no exterior. Entre afrescos e obras de arte majestosas encontrámos “O Corcunda”, uma estátua de Gabriele Caliari.

Parámos também no DUOMO DE VERONA cuja visita vale, essencialmente pela decoração em mármore vermelho típico da região pelos afrescos e suas esplêndidas arcadas.

Na PONTE PIETRA o cenário é perfeito: o rio, as suas margens e as casinhas coloridas fazem as delícia de qualquer um!

Atravessamos a ponte e chegámos a outro monumento da época do grande império, o TEATRO ROMANO.

À medida que se vai subindo, a paisagem sobre Verona fica cada vez mais interessante e já do cimo da colina para onde nos dirigimos até ao CASTEL SAN PIETRO, a vista é absolutamente divina recompensando as “dolorosas” escadas! com Verona “aos nossos pés” contornada pelo rio Adige, despedimo-nos de Verona…não podíamos começar melhor o nosso “giro italiano”.


Todos os textos são da autoria de Olga Samoes e todas as fotografias deste blog são da autoria de José Carlos Lacerda, exceto onde devidamente identificado. Proibida a reprodução de quaisquer textos e/ou imagens sem autorização prévia dos autores

Este artigo poderá conter links de afiliados. O que são ?  

Ao fazerem reservas pelos links do nosso blogue NÃO vão pagar MAIS por isso e nós ganhamos uma pequena comissão dada pela entidade pela publicidade que lhe fazemos.


Leave a Reply