Fim de semana em ZURIQUE

zurique

Este roteiro em Zurique vai levar-vos a passear pelas principais atrações da cidade em 48 horas, ou seja, por exemplo numa escapadinha de fim de semana. 

É fácil conhecer o centro histórico Zurique a pé. As igrejas Grossmünster e Fraumünster, o Lago de Zurique, o Lindenhof e a famosa Bahnhofstrasse, encontram-se todos num raio de 1 ou 2 km.

Mas, para outros locais, a melhor opção é a utilização de um transporte público. Nós optamos por adquirir o  Zürich Card City Pass que dá direito de viajar gratuitamente em todas as formas de transporte público, por toda a rede da cidade (Zona 110 e zonas circundantes) e ainda oferece descontos nas taxas de entrada do museu, bem como descontos em restaurantes e lojas selecionados. O cartão pode ter validade de 24 horas ou 72 horas.

No fim deste artigo deixamos um GUIA PRÁTICO com todas as dicas desta cidade, como chegar, onde ficar, etc…

Zürich Hauptbahnhof 

O local por excelência de chegada a Zurique é a Estação Central, a Zürich Hauptbahnhof! E, este é também um ótimo ponto de partida para o primeiro dia de roteiro em Zurique. 

O edifício histórico da maior estação de comboios da Suíça, inaugurado em 1847 é em si próprio já uma atração por conta da bela arquitetura. Mas além de funcionar como estação, também é um grande shopping com restaurantes, mercados e lojas em geral abertas 365 dias do ano e normalmente com horário de funcionamento alargado.

Bahnhofstrasse

A principal avenida comercial de Zurique liga a estação de comboios ao centro histórico de Zurique, “Altstadt”.

Esta avenida tem, nos seus 1,4 km de extensão, algumas das principais boutiques de roupa e lojas das principais marcas de relógios de Zurique. Uma “espécie” de Champs-Elysée na Suíça!

Mesmo que, tal como nós, não estejam interessados em compras, não deixem de caminhar alguns minutos pela Bahnhofstrasse e sentir a atmosfera de glamour do coração comercial de Zurique!

A principal avenida comercial de Zurique liga a estação de comboios ao centro histórico de Zurique, “Altstadt”.

Mas era no centro histórico que estávamos interessados!

E Zurique mantém a essência de seu passado com ruas, praças e edifícios históricos muito bem preservados que nos deixaram encantados…

E foi pela visão “do alto” que começamos a explorar a “Altstadt”!

Lindenhof Hill

Esta colina, formada há milhares de anos por acumulação glacial de solo e rocha e assim está listada como Patrimônio Histórico da Suíça devido ao seu significado histórico.

Num passado recente, esta área foi o local de uma estação alfandegária romana e depois uma residência real medieval.

Hoje é o único parque público dentro das muralhas da cidade e para lá chegarmos fomos seguindo a pé pelas estreitas vielas do centro antigo da cidade que nos conduziram á subida pela colina Lindenhoftrasse até á praça e miradouro.

É uma área muito bem preservada da “velha” Zurique onde ainda há resquícios de um antigo Forte do Império Romano do século IV. As suas ruas estreitas de paralelepípedos e os edifícios históricos ajudam a manter a atmosfera medieval e tornam a região excelente para ser explorada a pé — apesar da inclinação!

Graças à localização elevada do parque, 25 metros acima do rio Limmat, oferece uma excelentes vistas panorâmicas de Zurique, do centro histórico, da Igreja Grossmünster e do rio Limmat.

St Peter Kirche / Predigerkirche


As formas góticas elegantes da Predigerkirche são visíveis apenas de um lado, já que do outro lado ela está parcialmente integrada na biblioteca central da cidade.

Mencionada pela primeira vez em 1231, a igreja do pregador era dirigida por monges da ordem dominicana, que enfatizavam a divulgação da palavra. Após a Reforma de Zwingli, os monges foram expulsos e a Igreja Prediger tornou-se protestante.

Hoje em dia são um pouco mais tolerantes, uma vez que, é um padre católico que celebra as missas conjuntas com muçulmanos ou budistas

St. Peterskirche foi a primeira igreja protestante na cidade de Zurique, após a Reforma.

Mas, o local onde se encontra há muito era considerado sagrado!

Originalmente por cá existiu um templo para Júpiter! Depois ao longo dos seculos foram sendo construídas pequenas igrejas, sendo a mais antiga do século VIII… A igreja que vemos hoje foi construída em 1706.

A torre da igreja tem um relógio com o maior diâmetro da Europa (8,7 metros) e dentro dela estão cinco sinos que datam de 1880, o mais pesado dos quais pesa cerca de 6.000 kg. A torre da igreja já funcionou como torre do vigia da cidade: diz-se que o guarda teria que olhar pela janela a cada 15 minutos para verificar se não havia vestígios de incêndios!

Catedral Fraumünster e a praça Münsterhof

Catedral Fraumünster, situada na praça Münsterhof chama a atenção por sua torre do relógio alta e pontiaguda que pode ser vista mesmo à distância em vários pontos do centro histórico de Zurique.

Esta igreja com o seu convento era habitada por mulheres da aristocracia da Europa. O convento, com o patrocínio dos reis e da abadessa, ganhou o direito de cunhar moedas em Zurique até meados do século XIII.

Münsterbrücke: ponte sobre o rio Limmat

Saindo da Fraumünster, é hora de cruzar a Münsterbrücke em direção a Grossmünster, ou “Grande Catedral”.

Um pouco mais de informação sobre a ponte: com sua construção iniciada em 1835, a Münsterbrücke é uma ponte exclusiva para pedestres ou bicicletas e está na lista de bens culturais do país, ao lado das duas principais catedrais.

Da Münsterbrücke (a ponte) temos uma bonita vista do lado sul da Rathaus conseguindo perceber que o edifício foi construído sobre a água.

Rathaus está praticamente no seu estado original, embora tenha elementos barrocos, as suas características básicas são de estilo renascentista.

Grossmünster

Diz a lenda que esta igreja fica no local de três sepulturas pertencentes a três santos do século III que se recusaram a renunciar à sua fé, mesmo depois de serem torturados com óleo a ferver e serem obrigados a beber chumbo derretido, acabando decapitados no local… são os santos padroeiros de Zurique, Felix, Regula e Exuperantius!

Segundo a lenda, Carlos Magno descobriu os túmulos dos santos padroeiros da cidade e mandou construir no local, uma igreja como mosteiro.

As chamadas “torres gêmeas” da Grande Catedral de Zurique são uma das marcas registradas da cidade e um ponto de referência para quem vai até a Grossmünsterplatz.

Markthalle Im Viadukt

Saindo da beira rio fomos conhecer um antigo bairro industrial que foi transformado num bairro com arquitetura moderna, bares, restaurantes e loja de moda e design.

Aqui situa-se o Markthalle Im Viadukt, também um projeto de revitalização no Kreis 5 (distrito 5) em frente ao parque Josefwiese, um mercado com diversos estandes e pequenas lojas de especialidades frescas da região como queijos, vinhos, doces e temperos.

O acesso é fácil através dos Trams 4, 13 ou 17 até a estação Dammweg, na rua Limmatstrasse. 

Foi a nossa oportunidade para “testar” estes transportes tão característicos da europa central!

Freitag Fladship Store

Também Kreis 5 fomos conhecer uma loja no mínimo original… num “edifício” feito com contentores empilhados, Daniel e Markus Freitag desenvolveram seu primeiro produto feito de lona de camião reciclada em 1993. Hoje são também recicladas para o efeito câmaras de ar de bicicletas e cintos de segurança de carro!

É de tal forma um sucesso que pessoas do mundo inteiro são vistas com as bolsas coloridas com o logo inconfundível da Freitag.

Nesta zona também destacamos o GEROLD GATEN com restaurantes e muitas lojas em contentores e uma rua com guarda chuvas coloridos pendurados

VISITA A UETLIBERG

Estava na hora de apanhar o comboio até ao topo da montanha para uma vista panorâmica da cidade e de boa parte do lago de Zurique (os comboios saem a cada 20 minutos da HB no sentido Uetliberg)

Aqui, na cordilheira Albis, é o local ideal para quem gosta de passeios ao ar livre, natureza e vistas espetaculares! Lá do alto, além do visual maravilhoso que se tem da cidade de Zurique, do lago e dos Alpes, ainda é possível percorrer trilhas e subir á torre de observação .

Uma das grandes atrações do Monte Üetliberg de Zurique são as lâmpadas de rua que iluminam uma das partes finais do caminho da autoria do artista Bruno Webber.

PASSEIO LAGO DE ZURIQUE

Finalizamos esta visita a Zurique com um passeio de barco…

Este passeio faz parte do transporte público da cidade saindo da estação BURLIPLATZ.

No passado, o lago tinha uma importante função como rota de transporte, mas hoje é mais utilizado para o lazer, para a práticas desportivas e atividades turísticas. Foi a oportunidade de conhecer Zurique de outro “ângulo” e revisitar algumas das principais atrações do centro histórico.

TOUR RECOMENDADA

Para quem quiser explorar a cidade numa visita guiada aconselhamos esta tour, que inclui um cruzeiro e uma visita ao Museu Lindt:

ZURIQUE: PASSEIO TURÍSTICO, CRUZEIRO E VISITA AO MUSEU LINDT


GUIA PRÁTICO

Como chegar?

De Portugal, existem várias possibilidades de viajar diretamente para Zurique, com várias companhias aéreas como a TAP, SWISS e Easyjet.

Fazemos sempre a pesquisa dos voos no Skyscanner pois assim ficamos com uma visão global dos preços praticados pelas diversas companhias aéreas e dos horários disponíveis. Tem sido um motor de busca essencial! É só escolher a opção que mais nos convém e somos redirecionados para as várias hipóteses de reserva… DICA: APÓS FEITA A ESCOLHA ir ao site da PRÓPRIA COMPANHIA AÉREA… mesmo que o skyscnaner mostre opções mais baratas… é, de certeza, a mais segura a reserva na própria companhia e mais fácil a comunicação direta quando surgem contratempos!

Sendo as passagens aéreas a parte mais cara da maioria das viagens, dedicamos um artigo apenas a explicar como funciona o Skyscanner e com dicas de como comprar voos baratos.

O aeroporto internacional de Zurique é o maior aeroporto da Suíça, uma das principais portas de entrada para o país mas tudo é muito prático, fácil e descomplicado! Afinal trata-se de um melhores aeroportos do mundo…

Há agora que chegar ao hotel! Para isso, deixamos aqui alguns meios para sair do aeroporto:

A melhor forma de chegar ao centro é de comboio.

O percurso dura de 10 a 15 minutos e começa na estação chamada Zürich Flughafen, localizada dentro do aeroporto, no subsolo e acaba na Zürich Hauptbahnhof, também conhecida como Zürich HB.

Uma dica é ver com antecedência os comboios e horários no site ou aplicativo da SBB (companhia de transportes da Suíça).  Mas mesmo para quem esteja com pressa, há comboios a cada 5 minutos!

Um bilhete simples para a estação de comboios (Zürich Hauptbahnhof ou abrevidamente Zürich HB) custa 6,60 CHF, válido durante uma hora, e o bilhete de ida e volta custa 13,20 CHF. A compra dos bilhetes pode ser feita nas máquinas automáticas ou nas bilheteiras.

Outra hipótese é o serviço de táxi, realizado pela empresa Airport Taxi.

Uma viagem até ao centro custa aproximadamente 60 CHF e a viagem demora cerca de 30 minutos. A praça de táxis está situada nas áreas de desembarque 1 e 2.

ALUGUER DE CARRO – Uma opção de mobilidade na cidade e arredores

Nós aconselhamos a busca através da RENTCARS ou da RENTALCARS que automaticamente selecionam entre as rent-a-car os melhores preços no destino

Quando viajar?

A melhor época para visitar a cidade suíça é a que mais se adequa aos seus objetivos!

Se a ideia é esquiar nos Alpes, a dica é ir para lá durante os meses de inverno, ou seja, entre dezembro e fevereiro. Prepare-se para enfrentar temperaturas negativas e encontrar os preços bastante altos, pois devido à proximidade de Zurique com as estações de esqui, tudo fica mais caro.

No entanto se o plano é aproveitar para fazer passeios ao ar livre, a melhor época é o verão, ou seja, entre junho e setembro, quando as temperaturas máximas estão na casa dos 25 graus e mínimas não ficam abaixo dos 13.

Para quem não quer esquiar nos Alpes nem nadar no Lago Zurique, mas apenas quer ver as belezas da cidade em passeios ao ar livre, uma alternativa é ir no final da primavera em que as temperaturas são suportáveis (entre 10ºC e 20ºC). Nós fomos em abril!

Onde ficar?

A nossa escolha número 1 é utilizar o Booking.com.

Temos reservado através desta plataforma por todo o mundo e não podemos estar mais satisfeitos. NUNCA tivemos qualquer tipo de problema. Por isso, independentemente do tipo de alojamento que escolherem para a vossa estadia recomendamos que reservem aqui sem receios.

Vamos indicar as nossas escolhas e algumas alternativas “para todos os gostos” baseadas na nossa pesquisa mas fica aqui deste já o link genérico para outras opções.

Booking.com

A nossa opção foi o HOTEL MONTANA Zürich, por se localizar a apenas 300 metros da estação de comboios.

Como viajar seguro?

Este não é um conselho! É mesmo um “investimento” que consideramos OBRIGATÓRIO…

Nunca se esqueçam de fazer SEGURO DE VIAGEM… Nós fazemos sempre!

Viajar é a nossa paixão, um momento muito esperado e planeado e por isso, nada melhor do que embarcar tranquilo! Assim, fazer um seguro viagem dá-nos a segurança de que caso algum imprevisto aconteça, como o extravio de alguma mala ou mesmo a necessidade de assistência médica, não teremos que nos preocupar com dinheiro e burocracia.

Fazemos os nossos seguros na IATI pois têm sempre a solução mais adequada para cada viagem… comparem os preços/condições das várias modalidades e façam como nós…

Simulação AQUI


Esta imagem tem um texto alternativo em branco, o nome da imagem é foto-olga-e-ze.jpg

Todos os textos são da autoria de Olga Samões e todas as fotografias deste blog são da autoria de José Carlos Lacerda, exceto onde devidamente identificado. Proibida a reprodução de quaisquer textos e/ou imagens sem autorização prévia dos autores

Este artigo poderá conter links de afiliados. O que são ?  

Ao fazerem reservas pelos links do nosso blogue NÃO vão pagar MAIS por isso e nós ganhamos uma pequena comissão dada pela entidade pela publicidade que lhe fazemos.


Leave a Reply