Espetáculo Imersivo Michelangelo e Da Vinci – PORTO

Espetáculo-Imersivo-Michelangelo-e-Da-Vinci-10

Estreou no PORTO, na passada sexta feira, 16/04/2021 o novo espetáculo imersivo do ateliê OCUBO “Il Divino Michelangelo & Il Genio Da Vinci” na Immersivus Gallery Porto, o espaço subterrâneo da Alfândega do Porto.

Comprámos os bilhetes com antecedência, evitando filas e contribuindo assim para manter o distanciamento social. Todas as regras em vigor são escrupulosamente cumpridas e por isso não há razão para deixarem de ir até lá! Enquanto isso, venham connosco…

espetáculo-imersivo-1

Trata-se dum espetáculo virtual com projeções a 360º numa área de 2000 m2! Chão, paredes, teto… todo o espaço é preenchido com a obra destes dois pintores renascentistas Leonardo Da Vinci e Michelangelo. A arte aliada á tecnologia!

Somos de uma forma inovadora e pedagógica transportados ao mundo destes dois génios, talvez os melhores artistas de todos os tempos, imergimos nas suas obras, entramos nos seus mundos!

Michelangelo

Iniciamos esta experiência sensorial única de luzes e sons por MICHELANGELO, conhecido como o Divino. Pintor, escultor, arquiteto, este espetáculo imersivo levou-nos num passeio pelas suas diversas vertentes artísticas.

Criação de Adão

Quem não conhece a “mão” do fresco da “Criação de Adão” da Capela Sistina?

Fomos literalmente “engolidos” por esta composição em que Adão e o Criador convergem no tema central da capela, o gesto de Deus! Os dedos das personagens, quase a tocar-se, são o ponto alto… A mão de Adão ainda sem a “vitalidade” que lhe será conferida através do toque e o dedo indicador do criador esticado, num gesto simples e direto, agraciando o homem com a vida.

Juízo Final

Somos também transportados ao “Juízo Final“, que ocupa a parede atrás do altar da Capela Sistina!

Espetáculo-Imersivo-Michelangelo-e-Da-Vinci-1

Mais de vinte anos depois da pintura do teto, Michelangelo regressou à Capela Sistina por encomenda do Papa Clemente II tendo finalizado a obra em 1541, com o comando do Papa Paulo III. A cena exibe o instante em que Jesus, figura central de um Cristo juiz implacável e temível, confere a justiça divina, elegendo quem seria ou não abençoado com o reino dos céus. Anjos que tocam as trombetas anunciam o Juízo Final e os demónios complementam a situação. Ao lado de Cristo a Virgem olha para o lado, recusando-se aceitar o caos, a miséria, o sofrimento e como todos os pecadores vão ser lançados no inferno

Uma das figuras representadas é São Bartolomeu que em uma mão segura a faca do seu sacrifício e na outra a sua pele esfolada, e na qual Michelangelo decidiu integrar o seu autorretrato. Assim, a cara deformada da pele esfolada é a do próprio artista, talvez uma metáfora para representar a sua alma torturada.

Uma das figuras representadas é São Bartolomeu que em uma mão segura a faca do seu sacrifício e na outra a sua pele esfolada, e na qual Michelangelo decidiu integrar o seu autorretrato. Assim, a cara deformada da pele esfolada é a do próprio artista, talvez uma metáfora para representar a sua alma torturada.

Espetáculo-Imersivo-Michelangelo-e-Da Vinci

Esta forma crua e despida com que os trezentos e noventa e um corpos foram representados causou certa polémica na época e o Papa Paulo IV solicitou a cobertura do sexo. Foi só entre 1980 e 1999 – durante a liderança do pontífice João Paulo II que se iniciou nova restauração a fim de restabelecer a pintura original e devolver a nudez às figuras retratadas. Com as obras de restauração não apenas as formas foram repostas, mas foi também revelada uma vibrante paleta de cores na obra original de Michelangelo.

O dilúvio

Espetáculo-Imersivo-Michelangelo-e-Da-Vinci-2

Sentimos ainda a “ira de Deus” para com a humanidade pecadora e corrupta, ao observar “O Dilúvio“, enviando como castigo, uma das primeiras cenas a serem pintadas no teto da Capela Sistina.

A arca, construída por Noé, encontra-se ao fundo, levando os escolhidos, enquanto as outras pessoas, em grande desespero, fogem com suas famílias da turbulência das águas, que sobem sem parar.

Não perca o nosso artigo sobre Roma

Bilhetes/tours Capela Sistina

David

Da pintura para a escultura, David é figura de destaque!

E, tal como o original, atualmente em exibição na Galeria da Academia em Florença (Itália) que tem mais de 5 metros de altura e pesa 5 toneladas de mármore maciço, a representação digital desta obra prima renascentista faz-nos sentir minúsculos!

Nessa escultura, Michelangelo retrata a história bíblica de David e Golias. É interessante como a narrativa é contada com apenas uma personagem e num “simples” olhar! Na verdade, Golias “existe” apenas na imaginação do público e David é representado preparando-se para enfrentar o enorme desafio levando somente uma funda, arma utilizada para arremessar pequenas rochas. A sua posição demostra uma espécie de “ação em pausa” e a sua expressão facial com a testa franzida, narinas dilatadas e olhar penetrante transmitem a tensão do momento e a ousadia da atitude, características que tornam o trabalho “quase humano” e realmente impressionante

Espetáculo-Imersivo-Michelangelo-e-Da-Vinci-8

Aproveitamos para revelar alguns episódios curiosos sobre a estatua de David: em 1512 foi atingida por um raio que acertou sua base, o que ocasionou pequenas rachaduras nos tornozelos, pouco mais tarde, em 1527 um conjunto de republicanos arremessou objetos de cima do Palazzo Vecchio que atingiram o braço esquerdo de David fragmentando-o e que apesar de restaurado ainda assim são aparentes. Provavelmente temendo mais “acidentes” em 1872 foi transferida para a Academia de Belas Artes de Florença e em 1910 colocada uma réplica de David em frente ao Palácio Vecchio, onde antes estava a original. Mas mesmo com esta proteção, em 1991 foi vítima de um atentado, sendo atingido por um martelo no seu pé esquerdo…

E porque não ver “ao vivo” ?

Baco

Também a escultura de Baco nos é exibida neste espetáculo imersivo. Nela o Deus romano do vinho, com a sua simbólica coroa de videiras, é-nos apresentado no estado embriagado, de olhos revirados e corpo cambaleante!

Atualmente encontra-se no Museu Nacional de Bargello em Florença pelo que se vão de visita á cidade é mais uma atração a não perder!

Para muito mais informações, dicas e roteiro por Florença, não deixem de ler o nosso artigo sobre a cidade!

Pietà

Tão famosa como David, a Pietà não podia faltar! Afinal trata-se de uma das mais belas e impressionantes obras da história da arte onde é representada a cena bíblica em que a Virgem Maria segura em seus braços Cristo, seu filho, já sem vida. A escultura está á entrada da Basílica de São Pedro, no Vaticano

Pietà, que em italiano significa “piedade”, exibe um trabalho técnico, preciso e excelente de escultura em mármore. O drapeado das vestimentas de Maria, a composição, os músculos relaxados de Cristo, as expressões das personagens, todos esses elementos contribuem para que a obra tenha força, beleza e serenidade ao mesmo tempo.

O rosto de Maria é representado com uma aparência mais jovem do que seria o comum para uma mulher com um filho de 33 anos, para assim poder simbolizar “todas as mães”, além de manter uma expressão de pureza e virgindade. A Virgem também exibe um semblante de conformidade e resignação, em que a dor da perda do filho é idealizada. Já o rosto de Jesus transmite serenidade, apesar de já estar sem vida.

Uma curiosidade: Michelangelo assinou apenas uma obra em sua vida, a escultura Pietà. Pode-se ler na faixa que atravessa o torso de Maria a inscrição: MICHEA[N]GELVS BONAROTVS FLORENT[INVS] FACIEBAT, ou seja, Michelangelo Buonarroti, o florentino, fez.

Leonardo Da Vinci

O espetáculo imersivo prossegue com a mente visionária de LEONARDO DA VINCI e as suas ideias vanguardistas num espetáculo visual com recurso aos seus escritos, pesquisas e invenções.

Códex Leicester e Atlanticus

Começamos por ser envolvidos pelos seus estudos plasmados nas páginas do Codex Leicester do Codex Atlanticus, como se deles fizemos parte, numa viagem digital sem precedentes. Os originais podem ser visitados em Milão… na Pinacoteca Ambrosiana!

Homem Vitruviano

Passámos pelo Homem Vitruviano, exposto na Gallerie dell’Accademia, em Veneza, que representa o ideal clássico de beleza, o equilíbrio, a harmonia das formas e a perfeição das proporções, sendo por isso também conhecido pelo “Cânone das Proporções”.

Eis o trecho da obra em que Leonardo utilizou para produzir seu desenho:

Um palmo é o comprimento de quatro dedos

Um pé é o comprimento de quatro palmos

Um côvado é o comprimento de seis palmos

Um passo são quatro côvados

A altura de um homem é quatro côvados

O comprimento dos braços abertos de um homem (envergadura dos braços) é igual à sua altura

A distância entre a linha de cabelo na testa e o fundo do queixo é um décimo da altura de um homem

A distância entre o topo da cabeça e o fundo do queixo é um oitavo da altura de um homem

A distância entre o fundo do pescoço e a linha de cabelo na testa é um sexto da altura de um homem

O comprimento máximo nos ombros é um quarto da altura de um homem

A distância entre a o meio do peito e o topo da cabeça é um quarto da altura de um homem

A distância entre o cotovelo e a ponta da mão é um quarto da altura de um homem

A distância entre o cotovelo e a axila é um oitavo da altura de um homem

O comprimento da mão é um décimo da altura de um homem

A distância entre o fundo do queixo e o nariz é um terço do comprimento do rosto

A distância entre a linha de cabelo na testa e as sobrancelhas é um terço do comprimento do rosto

O comprimento da orelha é um terço do da face

O comprimento do pé é um sexto da altura

Assim, o desenho de Da Vinci reflete com maestria as proporções humanas!

Desenhado a lápis e tinta sobre o papel, temos um homem nu representado numa sobreposição de imagens com quatro posições diferentes. Numa delas, os braços fazem um ângulo de 90 graus; e noutra, eles aparecem mais acima da cabeça. Em relação às pernas da figura, notamos um desenho com as pernas mais fechadas e outro, com as pernas abertas. O umbigo representa o centro de equilíbrio, o qual permanece imóvel.

O desenho de Da Vinci está intimamente relacionado com a filosofia humanista e o conceito de antropocentrismo: O homem como centro do mundo, em contraposição ao teocentrismo, na qual Deus está no seu centro.

Se forem a Veneza não deixem de o ver ao vivo!

Leiam também o nosso artigo aqui no blogue sobre Veneza:

Última Ceia

 A Última Ceia dispensa apresentações! O fresco que ocupa uma parede da Igreja e Convento Santa Maria Delle Grazie, em Milão, Itália e é “só” uma das obras mais emblemáticas do pintor e por isso não podia faltar!

Nela é retratada a última ceia de Jesus Cristo ao lado de seus apóstolos, momentos antes dele ser crucificado, mais precisamente, segundo a Bíblia, o momento em que Jesus revela seu traidor.

A passagem é de João 13:21:

“Tendo Jesus dito isto, turbou-se em espírito, e afirmou, dizendo: Na verdade, na verdade vos digo que um de vós me há de trair.

Então os discípulos olhavam uns para os outros, duvidando de quem ele falava.

Ora, um de seus discípulos, aquele a quem Jesus amava, estava reclinado no seio de Jesus.

Então Simão Pedro fez sinal a este, para que perguntasse quem era aquele de quem ele falava.

E, inclinando-se ele sobre o peito de Jesus, disse-lhe: Senhor, quem é?

Jesus respondeu: É aquele a quem eu der o bocado molhado. E, molhando o bocado, o deu a Judas Iscariotes, filho de Simão.

E, após o bocado, entrou nele Satanás. Disse, pois, Jesus: O que fazes, faze-o depressa.

E nenhum dos que estavam assentados à mesa compreendeu a que propósito lhe dissera isto.”

Jesus está no centro da mesa e em cada lado da figura estão seis de seus apóstolos, totalizando os doze: Pedro, João, Tiago (filho de Zebedeu), Tiago (Filho de Alfeu), André, Mateus, Bartolomeu, Simão Zelote, Felipe, Tomé, Judas Tadeu e Judas Iscariotes.

Com grande maestria Da Vinci conseguiu revelar todas as reações emocionais e físicas de cada um dos personagens…apesar de ser o momento em que Jesus aponta seu traidor (Judas Iscariotes), no rosto dele podemos notar certa serenidade. Já em relação aos apóstolos o contrário é patente! A indignação e desordem é percetível pelos gestos e movimentos de cada um deles.

Sendo uma das obras mais estudadas face ás diversas e sublimes mensagens que contém, deixamos aqui algumas teorias:

Algumas apontam que na cena está Maria Madalena, ao lado direito de Jesus Cristo, ao invés de seu apóstolo João, uma vez que podemos notar diversos aspetos femininos na personagem.

Outras teorias centram-se na faca que Pedro ostenta e que, segundo eles, ameaça diretamente Maria…

Há ainda que consiga visualizar um suposto bebé ao colo de Judas Iscariotes.

O livro “O Código Da Vinci” de Dan Brown aponta para vários mistérios relacionados com essa obra. Um deles é a suposta união entre Maria Madalena e Jesus Cristo, além do filho que nasceu dessa relação.

São assim inúmeras as razões para ser apreciada quer neste espetáculo imersivo, quer para a visita “in loco” em Milão… Avisamos desde já: o bilhete de ser comprado com meses de antecedência, pois o ambiente é altamente controlado, quanto ao número de visitantes!

Mona Lisa

E se a “Última Seia” dispensa apresentações, a Mona Lisa, originalmente “La Gioconda”, é um dos quadros mais famosos do mundo! Tem apenas 77 cm de altura por 53 cm de largura o que acaba por ser uma “deceção” quando visto ao vivo… está muito mais impactante nesta exposição!

Retrata uma mulher serena de sorriso enigmático, “leve”, quase impercetível… ficamos sem saber se é de felicidade, de inocência, se é pretensioso ou sensual.

Existem diversas discussões sobre quem seria a pessoa retratada nesta obra: o autorretrato do pintor?  Isabel de Aragão, a Duquesa de Milão? A teoria mais aceite entre os historiadores e cientistas da arte é de é Lisa Gherardini, italiana nascida em Florença e que foi o seu marido, Francesco del Giocondo, que encomendou a obra.

Menos conhecidas, mas igualmente geniais, outras pinturas como:

  • A “Anunciação”, atualmente exposta na Galleria Degli Uffizi, Florença, Itália, em que é reproduzida a cena em que o arcanjo Gabriel visita a Virgem para lhe dizer que ela irá dar à luz o messias, filho de Deus.
  • O “Salvator Mundi é um óleo sobre tela onde Cristo, vestido com trajos tradicionais da Renascença, é apresentado como salvador do mundo, segurando um globo de cristal com sua mão esquerda e benzendo com a direita.
  • E São João Batista, possivelmente foi a última obra do artista em que João tem o dedo indicador da mão direita apontando para o céu, reforçando a importância do batismo para a salvação da alma.

Destas obras apenas a Mona Lisa e São João Batista podem ser vistas “in loco” no Louvre em França e a Anunciação e na Galleria Degli Uffizi em Florença

Onde e quando visitar este espetáculo imersivo Espetáculo Michelangelo e Da Vinci ?

Aberta ao público na Alfândega do Porto, poderá ser visitada até 11 de julho do corrente ano, de terça a sexta-feira com sessões às 11h, 13h, 15h, 17h e 19h e ao fim de semana com uma sessão, às 11h.

Garanta os seus bilhetes com antecedência, evitando filas e contribuindo assim para manter o distanciamento e regras necessárias.

O Estacionamento é gratuito para visitantes, no Parque Nascente, contíguo ao Edifício da Alfândega, sujeito a disponibilidade no momento.

Outros espetáculos imersivos no Porto/ Alfândega

Ainda no Porto:


Todos os textos são da autoria de Olga Samões e todas as fotografias deste blogue são da autoria de José Carlos Lacerda, exceto onde devidamente identificado. Proibida a reprodução de quaisquer textos e/ou imagens sem autorização prévia dos autores

Este artigo poderá conter links de afiliados. O que são ?  

Ao fazerem reservas pelos links do nosso blogue NÃO vão pagar MAIS por isso e nós ganhamos uma pequena comissão dada pela entidade pela publicidade que lhe fazemos.


Mesmo para quem já teve o privilégio de vivenciar tudo “in loco” fica rendido com este espetáculo imersivo “Il Divino Michelangelo & Il Genio Da Vinci”. Uma abordagem a não perder!

4 comments

Leave a Reply