City Breaks – Barcelona

Com a nossa recente viagem a Barcelona decidimos reeditar o artigo do blogue sobre esta cidade… Vamos, assim, juntar a experiência que tivemos em 2015 com a de 2020 elaborando um artigo conjunto!

Barcelona, foi em 2015 a cidade “escolhida” para a nossa primeira viagem a dois!

Podíamos vir dizer que a “escolha” se deveu a esta ser uma das cidades mais românticas da Europa, com as suas ruas repletas de obras de Gaudi, com os seus bairros antigos a convidar a nos deleitarmos com as suas deliciosas “tapas”, ou então falarmos sobre as vistas deslumbrantes para o mediterrâneo que muitos recantos da cidade proporcionam…Mas não era verdade!

Primeiro porque não foi uma “escolha”, foi um acaso…a viagem já estava programada e acabou por se proporcionar lá irmos os 2… E depois porque a razão de ser desta visita à capital da Catalunha nada teve a ver com romantismo mas sim com corridas! Fomos lá participar na Meia Maratona… a nossa estreia internacional nos 21 km!

Coincidência das coincidências, calhou no fim de semana de 14 de fevereiro, dia dos namorados…era o destino!!!! Fomos sábado no voo mais cedo da Ryanair, regressamos domingo ao fim do dia e passámos a manhã de domingo a correr… ou seja, não sobrou muito tempo para conhecer a cidade como queríamos.

Ficou logo a intenção de lá voltar e assim o fizemos este ano!!!! Também no fim de semana do dia dos namorado, agora já casados e na companhia dos meus pais que há muito a queriam conhecer.

Da primeira vez reservamos previamente o transfer do aeroporto para o hotel uma vez que os autocarros que existem apenas ligam ao centro da cidade, praça da Catalunha e dai ao hotel escolhido ainda era “um esticão”. Utilizamos para isso o site da “Suntransfers” uma vez que é muito fácil reservar online, permite alterações e os cancelamentos gratuitos, se efetuados até 48 horas antes do serviço e não aplicam taxas nos pagamentos com cartão de débito ou crédito. Por vezes mesmo quando há transportes públicos recorremos a esta funcionalidade, sobretudo se temos mais bagagem, menos tempo disponível ou somos mais viajantes.Deixamos aqui o link pois poderá ser útil

http://www.jdoqocy.com/click-9165869-12614055

Desta vez utilizamos o serviço de transfer do Booking e ficamos de igual forma satisfeitos! Mais uma vez optamos por não ir de metro até ao centro, apesar de termos previamente adquirido o cartão “Hola!” de 48 horas pois chegamos muito tarde na sexta feira e quariamos chegar o mais breve possível ao hotel, sem mudanças de linhas e caminhadas inerentes à utilização dos transportes públicos. No regresso ao aeroporto uma vez que tínhamos tempo, usamos a linha 9 sul do metro, incluida no passe de 48 horas.

Link https://www.holabarcelona.com/tickets/hola-bcn-barcelona-travel-card

Em 2015 ficamos instalados no hotel CAPRI BY FRASIER, escolhido dada a sua proximidade com a meta da meia maratona mas cuja relação qualidade /preço é muito boa e acaba por nem ser assim tão longe das várias atrações, que conseguimos visitar a pé!

Link hotel 2015 – https://www.booking.com/hotel/es/capri-by-fraser

Em 2020 como decidimos oferecer a viagem aos meus pais tivemos que economizar um pouco mais no hotel e escolhemos o Hotel TEATRE AUDITORI, com bons acessos aos transportes públicos, mais discreto que o anterior mas igualmente agradável e com um ótimo pequeno almoço!

Link hotel 2020 – https://www.booking.com/hotel/es/teatre-auditori

Sendo Gaudi “a cara” de Barcelona e a Sagrada Família um dos edifícios mais importantes da cidade, foi por aí que iniciamos o nosso passeio. Gaudí dedicou 40 anos da sua vida a esta obra tendo, porém, morrido antes de ver o projeto finalizado, em 1926. Como entretanto se desencadeou a Guerra Civil Espanhola, a sua construção só foi retomada em 1944 com a agravante de que grande parte dos projetado terem sido destruídos durante a guerra.

Diz-se ficará concluída em 2026… apesar de ser notória de ano para ano a sua evolução, será para sempre a obra inacabada da Gaudí !!!

As filas para aquisição de bilhetes para a visita do interior são ENORMES e em 2015 não íamos preparados com bilhetes pré-comprados, que, no entanto, aconselhamos a 100%.

Este ano não deixamos escapar a oportunidade e adquirimos uma tour guiada. Há também outras opções como aquisição apenas de bilhete ou bilhete com audio guia. Quisemos aproveitar ao máximo esta viagem pelo que a opção por ter alguém que nos pudesse acompanhar e explicar ao detalhe cada “cantinho” foi a que prevaleceu.

Usamos a aplicação da “Tiqets” que usamos para aquisição de bilhetes em todo o mundo. Os preços dos bilhetes são sensivelmente os mesmos que os da bilheteira (por vezes até mais baratos!), são-nos enviados instantaneamente de forma digital podendo ser usados para entrar na atração sem os imprimir…

Sagrada Família – apenas bilhete de acesso rápido – https://www.tiqets.com/pt/barcelona-c66342/sagrada-familia-acesso-rapido

Sagrada Família tour guiada – https://www.tiqets.com/pt/barcelona-c66342/sagrada-familia-sem-filas-tour-guiado

Mesmo apenas do lado de fora, é possível passar horas a observar os detalhes! São três fachadas exteriores, a fachada da natividade, a fachada da paixão e a fachada da Glória. A primeira simboliza o nascimento de Jesus Cristo. É a única fachada que foi praticamente finalizada antes da morte de Gaudí. É a fachada mais decorada e ornamentada, com vários símbolos e representações religiosas. A segunda, dedicada à Paixão de Cristo, revela os últimos momentos da vida de Jesus Cristo. Trata-se de uma fachada escura, com muita sombra e pouca decoração. A terceira é a fachada da Glória, a maior e mais importante das três e que representa a ascensão de Cristo. É a fachada mais moderna, cujos trabalhos começaram em 2002.

Com a tour guiada tivemos oportunidade de “reparar” melhor em todos os pormenores e antes de seguirmos para o interior pudemos apreciar os vários detalhes existentes a cada cantinho e conhecer as suas variadas histórias… podíamos passar horas em cada um deles!

E desta vez fomos ao seu interior que irradia luz e cores…

Desde os vitrais coloridos que iluminam todo o ambiente, às esculturas na fachada até as colunas que imitam árvores, tudo nos cativa pela beleza ímpar, tudo nos absorve pela simplicidade. Uma obra inspirada na natureza, expoente máximo da frase conhecida do seu criador “l’originalitat consisteix a tornar a l’origen”!

Continuando a percorrer as ruas em busca de mais obras deste arquiteto que marcou de forma única o modernismo catalão, visitamos, também por falta de tempo para mais, o exterior da Casa Batló e La Pedrera ou Casa Milá. São mais duas visitas que estão na lista da nossa próxima visita a Barcelona por sabermos de antemão que valem mesmo a pena…

A casa Milá ou La Pedrera está situada no número 92 do Passeig de Gràcia no bairro Eixample de Barcelona e é mais um exemplo da sua excentricidade!
Com uma forte influência da tendência inovadora e simbolista do Art Nouveau, as linhas curvas e formas orgânicas inspiradas em elementos da natureza como folhagens e flores estão mais uma vez bem presentes.
É impossível não reparar nas varandas, em ferro forjado, que imitam plantas trepadeiras. Ousado e livre de preconceitos Gaudi elimina aqui a ideia de esquina “cortada” tão característica da cidade e projeta um edifício sinuoso ao longo da avenida.

Casa Milá – https://www.tiqets.la-pedrera-essencial-sem-filas

Descendo a avenida Passeig de Gràcia em direção á praça da Catalunha a fachada colorida da Casa Batlló salta de imediato à vista. As suas lúdicas janelas arredondadas e seu teto ondulado tem a aura de um castelo de um conto de fadas e revelam de imediato a identidade de seu criador: Antoni Gaudí, quem mais ???
Está obra foi-lhe encomenda pelo Señor Batló e após dois anos esta casa ganhou um andar extra e a maravilhosa fachada que hoje ostenta.
Com um pouco de imaginação podemos ver um réptil gigante no telhado da Casa Batlló. Uns dizem que Gaudí se inspirou na lenda de São Jorge e o dragão… a torre com sua cruz representa a espada e os crânios na fachada as vítimas da terrível fera, outros que simboliza o espírito do Carnaval… o telhado representaria o chapéu do bobo da corte, as varandas máscaras, sendo os mosaicos uma alusão ao confetes… deixamos ao vosso critério !!!!

Casa Batló – https://www.tiqets.casa-batllo

Na porta ao lado da Casa Batlló a Casa Amatller reparte as atenções… esta criação do lendário arquiteto catalão Josep Puig i Cadafalch é mais um edifício onde o modernismo mostra todo o seu esplendor, desta feita influenciado pelas fachadas das casas tradicionais Holandesas. O resultado foi uma harmonia artística rica do primeiro ao último detalhe.

Casa Amatller – https://www.tiqets.casa-amatller

Ainda no Passeig de Gracia, agora no número 35 a Casa Lleó i Morera, um projeto de Lluís Domènech i Montaner, é outro edifício modernista cheio de encanto em que vale a pena parar.
Enquanto a Casa Batló nos mostra a desconcertante imaginação de Gaudi e a Casa Amatller a genial representação do estilo gótico de Puig i Cadafalch, este terceiro elemento da “Illa de la Discòrdia”, como é conhecido este quarteirão de Barcelona, a Casa Lleó i Morera, um projeto de Lluís Domènech i Montaner, representa a elegancia dos detalles.
Toda a sua fachada é rica na decoração, onde se destacam quatro figuras femininas nas varandas com instrumentos alegóricos do modernismo.


Descemos então até à “Plaça de Catalunya”, principal praça de Barcelona, onde está o coração comercial da cidade e tem inicio as famosas “Las Ramblas” que se estendem até ao mar que fomos percorrendo lentamente até ao Bairro “El Raval” onde se encontra o imperdível mercado “La Boquería” ou ” Mercat de Sant Josep”! Com mais de 300 postos de exposição e venda de produtos locais e exóticos já se tornou um símbolo de Barcelona. Entramos aqui num mundo de cores, sabores e visões fascinantes que fazem dele um ponto de paragem obrigatório!
Com o comércio dividido em categorias fomos, por entre frutas e verduras, mariscos e peixe, presuntos e vinhos, entre locais e turistas absorvendo o seu ambiente animado e que convida a degustar umas “tapas” e entrar no espírito catalão!

Depois da Sagrada Família, as Ramblas são o lugar mais visitado de Barcelona!

Por aqui passam as manifestações políticas, as comemorações do Barça, artistas de rua, estátuas humanas, as pessoas da cidade e, claro, os turistas! Esta via pedestre que começa na praça Cataluña convida a um passeio sem pressas para apreciar, no seu percurso, as bancas de flores, de doces, os restaurantes e os artistas.
Ao chegarmos ao fim, espera-nos o porto marítimo e a estátua de Colombo de braço estendido e dedo apontando para a América. Neste passeio “inevitável” pela avenida mais famosa da capital catalã ainda nos detivemos a apreciar a “Rambla de mar”, uma passarela flutuante e de design moderno onde se pode relaxar com o mar Mediterrâneo em pano de fundo ao som das muitas gaivotas e aproveitando os deliciosos raios solares refletindo na água e aquecendo o final desta tarde de inverno.

De volta ás Ramblas, atravessámos para o lado oposto em direção ao bairro Gótico indo ao encontro da Catedral de Barcelona, também conhecida como la Seu ou Catedral de Santa Cruz e Santa Eulália. O ingresso é gratuito e valendo a pena a visita cujo ponto alto são os treze gansos no claustro que que lembram a idade com que Santa Eulália foi martirizada

Para conhecer a Barcelona medieval e é preciso entrar por estas ruas estreitas, explorando a sua história e o seu passado. Por aqui, casas centenárias, igrejas, pátios e praças formam um labirinto que contrasta com as largas e geométricas avenidas do resto da cidade dando-nos a sensação de ter entrado numa outra dimensão e encontrando a cada esquina modernas formas de arte nesta parte antiga da cidade!

No domingo de 2015, após a corrida, o almoço para repor energias foi na zona da “Rambla de Mar”, situada em frente ao monumento dedicado a Cristóvão Colombo, uma espécie de ponte moderna que cruza o porto marítimo permitindo chegar ao centro comercial e ao cinema IMAX e ao “Aquarium de Barcelona” unindo assim a cidade velha ao Mediterrâneo.

Este ano também o domingo foi dia de meia maratona, desta feita para apenas um de nós!

Para a tarde, em ambos os anos, reservamos a visita ao “Parque Güell”, uma das obras mais representativas do art nouveau e do arquiteto Antonio Gaudí .

Embora se trate de um parque público, o acesso à zona monumental é pago, com hora de acesso estipulada e com um número limite de visitantes.

Em 2015 como compramos na hora o ingresso tivemos que “fazer horas” para lá entrar o que nos atrasou bastante e condicionou o resto do programa que tínhamos para esse dia. Assim, aconselhamos a prévia aquisição do bilhete.

Desta última vez já não caímos no mesmo erro! Com hora marcada para entrar tudo se torna muito melhor e inclusive temos direito a utilizar o autocarro do parque que faz o percurso desde a estação de metro Alfons X até à entrada… é sempre a subir… é mesmo de aproveitar!

Entrada com horário reservado – https://www.tiqets.com/barcelona-park-guell-

Extravagante, situado numa colina no topo de Barcelona que proporciona vistas extraordinárias, com magníficos jardins magníficos, edifícios com detalhes fantásticos, um lagarto na entrada e um famoso banco ondulante com azulejos exuberantemente coloridos fazem deste local, sem dúvida, um sitio a não perder! Património Mundial da UNESCO é um festival de cores e formas fantásticas…

Antoni Gaudí é o homem por trás deste projeto que seria o de construir uma vila parecida a uma floresta de conto de fadas. Apenas 2 das 60 casas foram construídas mas nem assim deixa de ser soberbo! Gaudi deu certamente asas à sua imaginação além das cores vibrantes, formas arquitetónicas peculiares e curvas naturais conseguiu criar um conjunto exuberante mas ao mesmo tempo integrado de forma fantástica na paisagem local.

E terminámos esta visita “relâmpago” na “Plaza España” onde se destacam o edifício monumental onde está instalado o Museu Nacional de Arte da Catalunha e a Fonte Mágica de Montjuïc , desativada para obras à nossa passagem…

Muito ficou por ver… A praia de Barceloneta, o Museu Picasso, a Fundació Joan Miró, um passeio de teleférico até à montanha de Montjuic onde está a fortaleza da cidade pois também este estava em obras de manutenção, mas estamos mesmo aqui “ao lado”… breve, breve regressaremos!


Rating: 5 out of 5.

Todos os textos são da autoria de Olga Samões e todas as fotografias deste blog são da autoria de José Carlos Lacerda, exceto onde devidamente identificado. Proibida a reprodução de quaisquer textos e/ou imagens sem autorização prévia dos autores


Este artigo poderá conter links de afiliados. O que são ?  

Ao fazeres reservas pelos links do nosso blogue NÃO vais pagar MAIS por isso e nós ganhamos uma pequena comissão dada pela entidade pela publicidade que lhe fazemos.


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s