“Pelos States” – Route 66 – Side trip – LAS VEGAS

Apesar de ser tida como a cidade do pecado, onde “What happens in Vegas, stays in Vegas” atualmente já não encontramos por lá só casinos, jogatina e bebedeira… Las Vegas transformou-se numa cidade de entretenimento com mega eventos sempre a acontecer, grandes hotéis com decorações extravagantes e espetáculos consagrados, no fundo, um parque de diversões construído em forma de cidade .

A parte mais turística da cidade concentra-se na “Strip”, a sua avenida principal, onde ficam os principais casinos e hotéis.

Uma autentica “passarelle” que nos conduz a uma “volta ao mundo” num “universo paralelo”: em meia dúzia de passos passa-se pela Torre Eiffel junto ao rio Sena e chega-se à Brooklyn Bridge com o skyline de Manhattan em pano de fundo ou se formos na direção oposta facilmente chegamos à Piazza San Marco em Veneza!

O Palácio de César que nos faz regressar à antiga Grécia e as pirâmides e até a esfinge de Gize transportam-nos até ao Egipto… tudo está ali por perto… é só escolher o destino!!!

Nada que se compare com os originais, tudo um pouco “fake” mas torna-se “engraçado”!!!

Faz sentido ir a Las Vegas uma vez na vida… é uma experiência!

E assim sendo, vale a pena usufruir do que por lá há de melhor. Estamos a falar do casino mais famoso… o Bellagio! O lounge do hotel é simplesmente magnífico! A sua decoração remete para um mundo mágico com muita flora e fauna. Muito bom!

Os quartos são um luxo… e além de toda a beleza interior o espetáculo das fontes de água no imenso lago construído em frente ao hotel, sincronizado com luzes e música é simplesmente surpreendente, de arrepiar e mexer com todos os sentidos!

Ficamos lá hospedados… “perdemos” a cabeça mas era o realizar de um sonho!!!

Outro espectáculo que pudemos ver ocorre no exterior do hotel Mirage: um vulcão em erupção que atrai milhares de turistas ao cair da noite, jorrando fogos pelas suas entranhas uma vez mais ao som de música, transportando-nos para o interior de uma qualquer selva tropical…

O letreiro “Welcome to Fabulous Las Vegas” logo no início da avenida Strip é também de paragem obrigatória!

Como não tínhamos chegamos por essa entrada tivemos que nos deslocar propositadamente até lá. Ao longe, uma multidão não deixa muitas dúvidas do local, situado mesmo entre as faixas de rodagem que conduzem à strip.

Outra região que fomos conhecer foi a “Old Las Vegas” também conhecida por “Downtown Las Vegas”.

Pelo caminho não faltam capelas, como a “Little White Wedding Chapel”, que oferecem cerimónias-relâmpago para os mais apressados que exagerando nas comemorações se lançam de cabeça num dos clichés pelos quais Las Vegas é conhecida: acordam com uma ressaca e casados sem se lembrar bem como!!!!!

Sem o glamour da nova cidade nesta zona encontram-se os primeiros hotéis e casinos que foram construídos e a “Fremont Street Experience”, uma zona pedestre que ocupa cinco blocos de Fremont Street, cuja atração principal é chamada “Viva Vision”, uma tela gigante com mais de 12 milhões de módulos de LED e um sistema de som de 555 mil watts numa enorme cobertura de metal em forma de arco que fica a 27 metros do chão.

Aqui espetáculos gratuitos de música sobrevoados pelos utilizadores da radical “Slotzilla Las Vegas Zip Line”, um cabo de aço que percorre toda a extensão da tela, faz deste um local vibrante e muito animado.

Chegar a Las Vegas de dia, como foi o nosso caso, retira-lhe o “encanto”, apesar de desta forma termos tido tempo para explorar os extravagantes hotéis, todos repletos de casinos, impossíveis de evitar mesmo quando se quer apenas entrar um qualquer lugar para fazer uma mera refeição, a verdade é que a magia chega com a noite, com o acender das luzes, com o inicio da agitação na cidade até ali quase fantasma…

E para melhor compreender a sua dimensão afastamo-nos de carro rumo ao deserto escuro que a envolve para, de longe, a observarmos! Indescritível o clarão que emana…

Regressamos para desfrutar mais um pouco da cidade e do seu ambiente escaldante e extravagante pois no dia seguinte teriamos que abandonar o Estado de Nevada e rumo á Califórnia para retomar o caminho que nos levou até terras norte americanas… a “nossa” route 66!

1 Comment

  1. Grande Litos….!
    Estive aí em Agosto… e tive a “sorte” de ficar no 28⁰ andar do Aria Hotel. Um Hotel que custou nada mais, nada menos que $9.1b (uma realidade para nós completamente distante) e com uns meros 4’500 quartos. Aconselho conhecerem os subúrbios de LV onde os bairros residencias são como nos filmes – de uma tranquilidade só vista e muito cuidada. Nao deixei.de espreitar o lugar de Lake Mead, um oásis (ou quem sabe uma miragem) no meio dos 49⁰ que eu apanhei. Em termos culturais não é de todo uma cidade cativante por ser consiserada “recente”. Não deixei se fazer o grand canyon de helicóptero ou de avioneta, parar e ver a brutalidade da barragem precedido por um piquenique e um bom vinho se Napa Valley (CA). Por último para se despedirem da cidade do pecado não deixem de visitar o Hotel do filme “A Ressaca”, o Wynn Hotel onde, à semelhança do Bellagio, tem recantos muito interessantes.

    Um abraço e PARABÉNS pelo blog!!!
    Tomás

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s